Conheça Casa Branca

Um Pouco de história...

Casa Branca nos remonta às Bandeiras, expedições com ­fins lucrativos que povoaram Piedade do Paraopeba e seu entorno no século XVII. As primeiras casas do povoado foram erguidas por volta de 1674, para abastecimento das tropas e dos mineradores de esmeraldas e ouro dos cursos de água da região. Em seguida, foram chegando os empregados e parentes de proprietários das fazendas e é nesse contexto que começa a história de nosso distrito.

Embora pertença ao município de Brumadinho, os dados históricos permitem dizer que a região de Casa Branca é cerca de três séculos mais antiga que sua sede.

 

Até 1901, Casa Branca fazia parte de Piedade do Paraopeba, distrito considerado mais antigo que todas as outras cidades históricas de Minas Gerais, por possuir uma igreja pré-barroca (1713) do período missionário-jesuítico. Piedade do Paraopeba pertencia ao município de Ouro Preto, mas com o desmembramento do município em 1901, Casa Branca, Piedade, Suzana e Córrego do Feijão passaram a pertencer a Nova Lima.

 

Em 1939, Casa Branca, Piedade e os povoados do cume da Serra da Moeda até o Paraopeba, passaram a pertencer ao município de Brumadinho, recém-criado.

Por Bernadeth Maria Pereira, moradora de Casa Branca e pesquisadora

do Projeto “A Memória dos Antigos Moradores de Casa Branca:

uma contribuição à história do povoado”.

Sino da Capela São Sebastião - Casa Branca - Brumadinho - Padroeiro de Casa Branca

Sino da Capela São Sebastião

Foto: Leonardo C. Moreira

Vista de Casa Branca do Parque Serra do Rola Moça

Foto: Site Panoramio

Um Pouco do contexto geológico...

Cachoeira dos Anões - Casa Branca - Brumadinho

Cachoeira dos Anões

Foto: Ronan Morais

Casa Branca fica localizada a 26km da sede de Brumadinho e a 13km de Nova Lima. É vizinha (zona de amortecimento) do Parque Estadual Serra do Rola Moça, criado para proteger a biodiversidade e seis importantes mananciais de água ali existentes: Taboões, Rola-Moça, Bálsamo, Barreiro, Mutuca e Catarina, declarados pelo governo estadual como Áreas de Proteção Especial, que abastecem parte da população da região metropolitana.

 

Está situada no Quadrilátero Ferrífero, ou como alguns gostam de chamar, Quadrilátero Aquífero, tendo em vista que na mesma camada geológica onde se encontra o minério de ferro, está também preservado um incrível manancial de águas subterrâneas de qualidade especial. Situada ainda na bacia hidrográfica do Rio Paraopeba. Os principais cursos d’água que cortam a localidade são o Ribeirão Casa Branca e o Ribeirão Catarina, apresentando biodiversidade relevante, incluindo espécies endêmicas e em risco de extinção.

 

Está localizada na Serra do Espinhaço, considerada a sétima reserva da biosfera brasileira, devido a sua grande diversidade de recursos naturais e endemismo.

Por Carolina de Moura e Maíra do Nascimento

Um Pouco de poesia...

Poema "A Serra do Rola Moça" de Mário de Andrade

A Serra do Rola-Moça
Não tinha esse nome não...


Eles eram do outro lado,
Vieram na vila casar.
E atravessaram a serra,
O noivo com a noiva dele
Cada qual no seu cavalo.


Antes que chegasse a noite
Se lembraram de voltar.
Disseram adeus pra todos
E se puserem de novo
Pelos atalhos da serra
Cada qual no seu cavalo.

 

Os dois estavam felizes,
Na altura tudo era paz.
Pelos caminhos estreitos
Ele na frente, ela atrás.

Poema "A Serra do Rola-Moça" de Mário de Andrade

E riam. Como eles riam!
Riam até sem razão.


A Serra do Rola-Moça
Não tinha esse nome não.

 

As tribos rubras da tarde
Rapidamente fugiam
E apressadas se escondiam
Lá embaixo nos socavões,
Temendo a noite que vinha.

 

Porém os dois continuavam
Cada qual no seu cavalo,
E riam. Como eles riam!
E os risos também casavam
Com as risadas dos cascalhos,
Que pulando levianinhos
Da vereda se soltavam,
Buscando o despenhadeiro.

Ali, Fortuna inviolável!
O casco pisara em falso.
Dão noiva e cavalo um salto
Precipitados no abismo.
Nem o baque se escutou.
Faz um silêncio de morte,
Na altura tudo era paz ...
Chicoteado o seu cavalo,
No vão do despenhadeiro
O noivo se despenhou.

 

E a Serra do Rola-Moça
Rola-Moça se chamou.

 

Esta história vinda da tradição popular foi imortalizada no poema de Mário de Andrade e, mais tarde, musicada por Martinho da Vila, no disco "Coração de Malandro".

Ilustração: Leandro Moraes

Produção: Orange Editorial

Um Pouco mais da região e do turismo...

Cachoeira dos Anões - Casa Branca - Brumadinho

Estação da Sede em 2013

Foto: Gustavo Dainha - Jornal Em Foco

O início da ocupação do território que hoje pertence ao município de Brumadinho parece ter ocorrido com as bandeiras que desbravaram Minas Gerais a procura de ouro e outros materiais preciosos. Esse fato favoreceu o surgimento de povoados a partir do último quarto do século XVII. Nesse contexto, surgem os povoados de Piedade do Paraopeba, São José do Paraopeba e Brumado do Paraopeba, atual Conceição do Itaguá.

Já no início do século XX, a construção do Ramal Ferroviário do Vale do Paraopeba acaba por fomentar o surgimento de um povoado no entorno da estação ferroviária de Brumadinho e das casas onde inicialmente se instalaram os operários da ferrovia. O povoado recebe o nome de Brumadinho em alusão à antiga vila de Brumado do Paraopeba de onde se originou parte de seus primeiros habitantes.

Trecho de texto retirado de material publicitário da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura de Brumadinho

Turismo histórico...

Brumadinho tem pontos turísticos históricos e maravilhosos:

   > Construída no início do séc. XX foi moradia, venda, primeira sede do Grupo Escolar e Escola Estadual Padre Machado e Ginásio São Sebastião, hoje a bela casa acolhe a Casa de Cultura Carmita Passos.

   > A Fazenda dos Martins é uma das habitações mais antigas de Minas Gerais, da primeira metade do séc. XVIII, tendo sido tombada em 1977, por guardar uma arquitetura secular e vestígios da senzala.

   > Reconhecido oficialmente pelo Ministério da Cultura como comunidade quilombola, o Quilombo do Sapé abriga importantes traços da cultura afro brasileira como Congado e Moçambique.

   > Datada de 1713, a Igreja Nossa Senhora de Piedade é uma das mais antigas de Minas Gerais e um exemplo da arquitetura colonial setentista mineira.

Trechos adaptados de textos de material publicitário da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura de Brumadinho

Cachoeira dos Anões - Casa Branca - Brumadinho

Casa de Cultura

Foto: Site Guia Estrada Real

Fazenda dos Martins

Foto: Site Estalagem do Vale

Igreja N. Sra. de Piedade

Fotos: Sites Chico Trekking

e Norte e Sul imóveis

Quilombo do Sapé

Foto: Prefeitura de Brumadinho

Turismo cultural...

O Museu Inhotim, localizado na sede de Brumadinho, à cerca de 40km de Casa Branca, começou a ser idealizado pelo empresário mineiro Bernardo de Mello Paz a partir de meados da década de 1980. A propriedade privada se transformou com o tempo, sendo inaugurada em 2002, tornando-se um lugar singular, com um dos mais relevantes acervos de arte contemporânea do mundo e uma coleção botânica que reúne espécies raras e de todos os continentes. Os acervos são mobilizados para o desenvolvimento de atividades educativas e sociais para públicos de faixas etárias distintas.

A experiência do Inhotim está em grande parte associada ao desenvolvimento de uma relação espacial entre arte e natureza. O museu conta com uma loja com produtos assinados por designers reconhecidos mundialmente a peças de cerâmica desenvolvidas por artesãos da região de Brumadinho. Conta, ainda, com um Teatro, um café e dois restaurantes, o Oiticica e o Tamboril. 

Fonte: http://www.inhotim.org.br/

Cachoeira dos Anões - Casa Branca - Brumadinho

Inhotim

Foto: Marcelo Coelho

Ecoturismo e gastronomia...

A localização geográfica de Brumadinho, o relevo montanhoso e o clima agradável proporcionam diversas opções de lazer e esportes de aventura. Por todo o município é possível realizar algum tipo de atividade que envolve o ecoturismo. As atrações vão desde as belas caminhadas ecológicas, cavalgadas, mountain bike, off road, arvorismo, tirolesa, rapel, até o fascinante voo livre. Conheça a Serra da Moeda, Serra do Rola Moça, Pico Três Irmãos, Serra da Conquistinha, Rio Paraopeba e as Cachoeiras Toca de Cima, Toca de Baixo, da Jangada e de Águas Claras.

A culinária mineira está presente nas cozinhas de Brumadinho. Desde os famosos botecos até os sofisticados restaurantes, a gastronomia é uma das principais atrações oferecidas. Temos deliciosas quitandas, quitutes e doces, além das cachaças e cervejas artesanais. Por ter um papel tão importante na vida dos brumadinhenses, a gastronomia é destaque dos festivais do município. Entre eles, os festivais da Jabiticaba, Cachaça, Mexerica, além do Brutiquim e o famoso Brumadinho Gourmet.

Trechos de textos retirados de materiais publicitários da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura de Brumadinho

Cachoeira dos Anões - Casa Branca - Brumadinho

Verde Folhas

Foto: divulgação

Restaurante Ao Pé do Jatobá

Foto: Daniel Lelpo

Brumadinho Gourmet...

Não poderíamos começar a falar do Brumadinho Gourmet sem antes mencionar que Lelena é uma das idealizadoras do Festival. Este ano de 2017, foi a 9ª edição deste grande evento que reuniu em um só lugar, restaurantes e chefs famosos, artesãos habilidosos, artistas de mentes criativas, músicos das mais variadas vertentes, dançarinos, atores, produtores da região, quitandeiras, doceiras, apreciadores, bons produtos e grandes marcas que se encontraram na encosta das serras de Brumadinho para participarem da mais autêntica festa da cultura e da gastronomia com raízes em Minas Gerais.

Trecho de texto retirado do site oficial do evento: http://brumadinhogourmet.com.br/#ofestival

Cachoeira dos Anões - Casa Branca - Brumadinho

Brumadinho Gourmet

Fotos: divulgação

Circuito Veredas do Paraopeba...

Lelena, além de fundadora do Circuito Veredas do Paraopeba, também foi sua conselheira por anos. Reativada em 2008 e oficialmente Certificada pelo Governo de Minas Gerais em 2010, integrada desde então à política de desenvolvimento do turismo do Estado de Minas Gerais, é apoiada pelos municípios de Belo Vale, Bonfim, Brumadinho, Florestal, Ibirité, Igarapé, Itaguara, São Joaquim de Bicas, Rio Manso, Moeda, Mário Campos, Juatuba e Jeceaba.

O Circuito compreende uma região mineira cercada de montanhas, com muitos vales, rios, cachoeiras e água abundante. É ideal para quem gosta do campo, de praticar esportes ligados à natureza ou simplesmente de contemplá-la. Guardião de riquezas históricas, culturais e ambientais do Brasil.
Antiga passagem de tropeiros e bandeirantes que cruzaram seus caminhos em busca de riquezas. Possui uma gastronomia diversificada com belos festivais gastronômicos, festival de inverno, encontro de bandas entre outras manifestações culturais.

Trecho de texto retirado do site oficial do Circuito: http://www.circuitoveredasdoparaopeba.org.br/o-circuito

Cachoeira dos Anões - Casa Branca - Brumadinho

Mapa Circuito Veredas do Paraopeba

Localização dos bairros e condomínios...